22 de julho de 2010

Esta terra não é minha.


" Esta terra não é minha, nunca foi... Não é mais secreto o que carrego na alma - chaga ou tesouro. Nunca, nada foi meu desde o princípio. As estrelas não me pertecem, os astros tremeram à minha presença; não escondo o manto negro no escuro, ele só pode ser visto onde há luz...

Encrusto muitas estradas com diamantes, mas esta terra nunca foi minha...Não sou rainha ou feiticeira,moro no fundo do mar esperando as lágrimas secarem, esperando o sono eterno vendar meus olhos e calar meus soluços mudos sob a ira da tempestade...

Entrego este mundo ao firmamento e planto cada palavra nos lugares ermos do horizonte. Não espere meu canto nas noites frias - esta terra não é mais minha.Não versarei soprando as brumas condensadas de sólida tristeza, nada me pertence, nem mesmo a dor...

Levo as cartas cheias de promessas e queimo-nas no paraíso perdido de memórias - nada é meu. O fogo arde em chamas alvas, ofuscando as páginas e destruindo os rastros dos mundos - os que nunca foram meus.

Desfaleço consciente nos vácuos da existência, carregando a única certeza de que os muros eram invisíveis, os jardins eram imaginários, as palavras eram inúteis e as noites começaram no fim - tenho somente a única certeza de que esta terra enevoada nunca pertencera a mim..."

Laísa Pinheiro Couto

2 Outras confissões...:

_lua_ disse...

Olá, é a primeira vez que passeio aqui e gostei muito.. estou seguindo..

bjs da lua.

=]

Laísa Pinheiro Couto disse...

Obrigada Lua, espero seu retorno...

Postar um comentário