11 de abril de 2012

O mendigo

A tristeza existe assim - incondicional,
Sem motivo ou propósito.
Sem razão de ser, como um mendigo.

A tristeza é uma figura maltrapilha,
Todos repugnam, mas o fino traje cinza,
consola quem deseja vestí-lo.

Veludos e brocados sujos, - o manto surreal da felicidade,
O mendigo é rei na terra dos surdos.
É rei nas montanhas dos altos egos alheios,
Seu trono é um cristal inquebrável dentro da alma humana.

Rei, mendigo, príncipe, eu...
O cedro de ouro não sustenta tuas fracas pernas andarilhas.
Para onde tu vais quando a tristeza findar?
O palácio de papelão derreteu na chuva de esmeraldas,
incrustadas no teu coração sem emoção e só tu não percebeste.

3 Outras confissões...:

Christian V. Louis disse...

Tristezas sem motivos são ruins, porém, incondicionais eu acredito que sejam as tristezas com motivos, aquelas que não nos permitem mudar uma situação. Este é o verdadeiro inferno.

Simone butterfly disse...

lindo poema, cheios de sentimentos e bem sincronizado! Vim aqui agradecer a sua visita, beijos e tenha um ótimo dia, bj

Fabio Baptista disse...

Achei meio psicodélico, tipo Lucy in the Sky with Diamonds! :D


Gostei, bem legal!

Postar um comentário